GESTORES DE FUNDOS DE RECEBÍVEIS

Mercado de fundos de recebíveis


O que é um FIDC (Fundo de Investimento em Direitos Creditórios)?

O FIDC, Fundo de Investimento em Direitos Creditórios, é um veículo de securitização criado pelo Conselho Monetário Nacional em 29 de novembro de 2001.

O FIDC, ou Fundo de Recebíveis, surgiu como uma alternativa de investimento ao modelo clássico de intermediação financeira (praticada tradicionalmente pelos bancos comerciais), possibilitando a empresas nacionais o acesso ao mercado de capitais, uma vez que o custo do dinheiro bancário em nosso País ainda é muito alto.

O projeto de estruturação de fundo de recebíveis implementado pela ANFAC, a partir de 2002, acabou se transformando também em um dos fatores que, nos últimos anos, mais contribuíu para a eficiência operacional e financeira dessas estruturas, bem como, para a melhoria da imagem do setor do Fomento Comercial.

Estes fundos denominados multissetoriais, multicedentes e multissacados, contam com a participação de grandes players do mercado tais como: instituições estruturadoras, bancos administradores, bancos custodiantes, empresas de auditoria, empresas de rating, empresas consultoras especializadas na seleção de clientes, gestores de fundos de recebíveis ou gestores de FIDC, entre outros.

A ANFAC vem agregando, ao longo do tempo, cada vez mais parceiros de excelência e expertise incontestáveis, atuantes no concorrido mercado de capitais. Essa iniciativa pioneira tem proporcionado aos investidores um invejável retorno, compatível com o custo benefício buscado por boa parte dos empresários do mercado do fomento comercial.

O banco PETRA, que é hoje, o mais experiente administrador do mercado de recebíveis voltados ao segmento do Fomento Comercial vem atuando, na qualidade de parceiro da ANFAC, na estruturação e administração de fundos aos seus associados.

Os Fundos possuem atualmente (setembro/2015), mais de R$ 5,8 bilhões de reais em patrimônios administrados, considerando somente os Fundos de Recebíveis voltados ao setor de fomento.

Desde 2005, boa parte das maiores e mais importantes empresas de fomento do País passou a ter este tipo de investimento estruturado e administrado pelo banco PETRA.

Atualmente, integram o projeto ANFAC, cerca de 8.000 empresas – clientes, cedentes de direitos creditórios, atendidas pelos FIDCS, num total de mais de 390 mil sacados espalhados por todo território nacional, que geram cerca de 900 operações diárias.

Para estruturar tal operação, o empresário de fomento deverá seguir toda a regulamentação do CMN - Conselho Monetário Nacional bem como as instruções pertinentes emanadas da CVM – Comissão de Valores Mobiliários - Órgão Regulador e Supervisor do mercado de capitais no Brasil.

Para mais informações, contate www.anfac.com.br