NOTÍCIAS

Notícias gerais e sobre o mercado de recebíveis – Fomento comercial

 

ANFAC realiza a 181ª edição do Curso de Agente de Fomento Comercial

segunda-feira, 29 de outubro de 2018.
Fonte: MASSMEDIA COMUNICAÇÃO

Durante quatro dias, os participantes contaram com os ensinamentos de diversos profissionais do setor. Foram debatidos, em aulas práticas e teóricas, temas atuais e do dia a dia do setor, como aspectos jurídicos e matemática financeira

Entender sobre o universo do fomento comercial demanda conhecimento técnico e teórico de diferentes áreas. Noções jurídicas e tributárias, de matemática financeira, de empreendedorismo, gestão e tantas outras, são usuais no dia a dia das empresas. Visando auxiliar novos profissionais e os já atuantes no segmento, a ANFAC - Associação Nacional de Fomento Comercial, promoveu nesta semana, a edição nº 181 do Curso de Agente de Fomento Comercial.

Por quatro dias, de 22 a 25 de outubro, alunos da Bahia, Mato Grosso, Pará, Paraná, Paraíba, Pernambuco, Rondônia, Santa Catarina e São Paulo, participaram da 181ª edição do curso. Ao todo, 19 profissionais tiveram 32 horas de imersão, conduzidas por cinco professores experientes no mercado de factoring.

"Este curso é um divisor de águas importante para o profissional que deseja atuar no fomento comercial. São apresentados conhecimentos técnicos e processuais de extrema importância", ressaltou o presidente da ANFAC, Luiz Lemos Leite, durante a aula de abertura do curso "Institucionalidade da ANFAC", na segunda-feira, 22 de outubro. Foram apresentados também os conceitos históricos do setor e as perspectivas para o futuro. Já no período da tarde, deste mesmo dia, o tema apresentado pelo palestrante, o empresário Domenico Di Bisceglie, foi sobre "Como se tornar um empreendedor no Fomento Comercial".

O segundo dia (23), iniciou com palestra do consultor jurídico da ANFAC, José Luis Dias da Silva, que apresentou aos participantes noções jurídicas e estratégias na área. "Como o fomento ainda passa por diversos processos de regulamentação, é de extrema importância que o profissional do fomento comercial entenda as leis que protegem o setor", ponta Silva. No período da tarde, o empresário Domenico Di Bisceglie, retornou à sala de aula para apresentar as noções de matemática financeira e ensinou como se calcula o fator de compra.

O período da manhã do dia 24 foi dedicado aos aspectos tributários e contábeis que empresas do fomento devem seguir. Foram apresentados os cálculos dos impostos e como eles precisam ser apresentados aos órgãos competentes. A aula foi apresentada pelo consultor contábil da ANFAC, Gilson Santoleri. A segunda parte do dia ficou sob responsabilidade do economista, Claudiomar Damasceno, que levou aos alunos os conceitos de securitização de crédito, exemplificados por estruturas de capital, capital próprio e terceiros, títulos mobiliários e muito mais.

O fechamento do curso foi dedicado à prática. Domenico voltou à sala de aula para falar, no período da manhã, sobre os "Crédito e Riscos do Fomento Comercial". Em seguida, foram realizadas diversas simulações de operações de fomento comercial. "Essa última etapa, prática, é muito importante, pois aqui entendemos a necessidade de avaliação, de análise, de uma boa realização no cadastro dos clientes, além de conseguirmos entender que o que é risco para um, pode não ser para o outro. E isso torna o setor muito mais competitivo", afirma Carlos Leonardo Domingues, associado à ANFAC.

Desde 1983, quando houve a primeira edição do curso, mais de 8 mil alunos receberam a certificação da Associação para atuar nas áreas de fomento comercial, como factoring, FIDC's, securitização de crédito e gestão de recebíveis, emitida através desse curso de Agente de Fomento Comercial, promovido pela ANFAC em todo o Brasil.