NOTÍCIAS

Notícias gerais e sobre o mercado de recebíveis – Fomento comercial

 

Fundos recebíveis - Diferenciação entre factoring e FIDC

terça-feira, 12 de junho de 2012.
Fonte: ANFAC

FIDC - Fundos de Investimento em Direitos Creditórios ou Fundos de Recebíveis, como também são conhecidos, são fundos de investimento que destinam a maior parte de seu patrimônio (pelo menos 51%), à compra de direitos creditórios (duplicatas, cheques pré-datados, contratos mercantis, recebíveis comerciais, industriais, de serviços) originados por pessoas jurídicas (empresas).

A outra parte do patrimônio, geralmente em montante bem menos significativo, é investida em títulos de renda fixa.

Para compor seu patrimônio, na grande maioria dos casos, os FIDC's emitem cotas seniores e subordinadas lastreadas nos recebíveis que compõem a sua carteira de ativos.

Trata-se do único fundo de investimento que possui mais de um tipo de cota e que carregam riscos e remunerações diferentes entre si.

As cotas seniores possuem uma remuneração-alvo e são destinadas aos investidores de mercado ou investidores "qualificados", assim definidos pela CVM - Comissão de Valores Mobiliários. Por outro lado, as cotas subordinadas são destinadas empresário ou a empresa que origina os recebíveis que o fundo adquire. As cotas subordinadas servirão de garantia contra o risco de crédito (risco do não pagamento dos devedores dos direitos creditórios) e outros tipos de riscos associados à operação.

Em geral, quanto maior o percentual de subordinação de um FIDC, maior a proteção proporcionada ao investidor.

Fundos de recebíveis

Perfil dos Investidores

As cotas de um FIDC só podem ser adquiridas pelos chamados investidores "qualificados", que são os investidores que possuem pelo menos R$ 300 mil em aplicações no mercado financeiro. O investimento mínimo em cota em cada fundo é de R$ 25 mil.

A forma de saída do investidor dependerá do tipo de fundo investido. Os FIDC's do tipo aberto, após um determinado período de carência, permitem que o investidor possa solicitar um resgate a qualquer momento. Porém, é importante ressaltar que a efetiva liquidação desse resgate depende da disponibilização de caixa e das regras existentes no Regulamento de constituição de cada fundo.

Os FIDC's fechados, por sua vez, não permitem a saída do investidor a qualquer tempo e possuem um cronograma de pagamento do valor aplicado. Existe ainda a possibilidade de venda das cotas adquiridas para terceiros eventualmente interessados (mercado secundário).

Pelas características descritas, conclui-se que esse tipo de investimento é mais adequado àqueles investidores que não estão buscando liquidez, mas sim uma remuneração diferenciada. Nos últimos anos o FIDC tem ganhando um bom espaço no mercado de capitais proporcionando a entrada de novos investidores e permitindo o acesso de um número cada vez mais expressivo de empresas ao mercado de capitais brasileiro.

Os fundos de recebíveis, em geral, abrigam uma estrutura composta por administrador, custodiante (instituições financeiras), auditor, rating, gestores de FIDC e consultor de FIDC.