O amigo mostra-me o que posso, o inimigo o que devo fazer

Friedrich Schiller
Poeta, filósofo, médico e historiador alemão
(1759 – 1805)

Prezado leitor,

A amizade e o amor são dois sentimentos que se irmanam, que se entrelaçam numa cadeia de nobreza e pureza, fundamentados num pacto sagrado de harmonia e de lealdade.

Para Aristóteles três são as espécies de amizade:  a que tem por objeto o prazer; a que tem por objeto o interesse e a que tem por objeto o bem moral.

A verdadeira amizade é tão preciosa que só a um reduzido número de pessoas a devemos conceder. O verdadeiro amigo é, ao mesmo tempo, um modelo, um conselheiro, um juiz e um protetor, que pauta a sua conduta pelos princípios da moralidade, ou seja, conjunto de regras de conduta tidas como incondicionalmente válidas pela sua retidão e equilíbrio.

A importância filosófica do termo amizade vem sobretudo do papel concedido à sabedoria pelos filósofos gregos, que recusam o nome de amizade a tudo que não for o apego dos sábios em razão da identidade da sua sabedoria.

Amizade é simpatia, a faculdade de partilhar os sentimentos e paixões dos outros, qualquer que eles sejam.

Amizade é afeição, grande apreço, solidariedade, compreensão e respeito entre grupos e pessoas

O maior atributo do amigo é a inteligência de conhecer e reconhecer aquilo que é evidenciado quer nos fatos, quer nas ideias de outrem, e é também a fidelidade que demonstra zelo e respeito no trato com as pessoas que lhe são próximas.

Nosso abraço amigo a todos os laboriosos empresários do fomento comercial com o compromisso de fidelidade na defesa dos mais lídimos interesses do nosso setor.

Até breve.
Nossas respeitosas saudações.
Luiz Lemos Leite
Presidente

© 2017 - Associação Nacional de Fomento Comercial